Os 3 pontos de Inflexão para que a inovação tecnológica prospere

Trabalhei por quase 6 anos no Gartner Inc. Estar ao lado de intelectuais todos os dias, aprendendo e podendo apoiar os meus clientes constantemente foi fascinante. Principalmente por começar este trabalho em um momento em que o ambiente ainda era hostil para o uso contínuo do conhecimento para a tomada de decisão no Brasil.

Direitos da Fotografia: xyz+ via Adobe Acrobat

Diversas lições foram aprendidas, mas uma em especial gostaria de compartilhar com todos. Existe uma linha de de pensamento sobre mensurar se uma idéia, uma inovação ou tecnologia existente, ou não, é viável de ser aplicada em um dado contexto através de 3 pontos de inflexão: Tecnologia, Cultura e Regulação. Vamos explorar um pouco estes três pontos:

  1. Cultura (conjunto de padrões de comportamento, crenças, conhecimentos, costumes etc. que distinguem um grupo social) – se testa as fronteiras culturais e sociais. Este ponto é de extrema complexidade, afinal a entidade empreendedora precisará estudar cuidadosamente o comportamento humano, as crenças e costumes do locar o qual pretende atingir. Cada país possui a sua cultura e ambiente social. Pois bem, como aplicar uma determinada inovação e esta impactar positivamente a vida das pessoas naquele local? Imagina a dificuldade de mensurar isto em uma multinacional que quer expandir território. Trazendo para a nossa realidade, mensurar a cultura para aplicação de uma dada Inovação no Brasil, país continental com regiões bem diferentes e culturas peculiares, poder ser ainda mais complicado e de certo modo impactar o Business Case de uma empresa nacional em expansão e ou uma multinacional se o foco dela for atender ao país inteiro. Aqui tratamos exatamente o que o blog se propõe, a inovação tecnológica impactando a vida das pessoas.
  2. Regulação – regulações podem impedir ou criar as oportunidades de negócios digitais. Nos EUA os estados possuem regulações próprias, o que pode impactar bastante uma estratégia que almeja atingir a maioria dos estados do país de uma única vez, fazendo-se necessário estudo que permita focar na aplicação de ida ao mercado em ondas. Em geral eu diria que é mais provável que regulações impeçam a inovação, afinal não é fácil mudá-las e o tempo é fator preponderante para se inovar (o que é inovação hoje deixa de ser amanhã, o que é uma oportunidade hoje, deixa de ser amanhã). Se há alta volatilidade como explicado, e mais ainda, há uma dúvida sobre seguir ou não pelas leis impostas, provavelmente não está claro o impedimento e poder-se-á abrir lacunas para se discutir a aplicabilidade da inovação. Se a inovação gerar impacto positivo na vida das pessoas, na sociedade e, sendo aprovada, de certo será necessária a geração de novas regulações embasadas nesta inovação.
  3. Tecnologia – O ritmo desenfreado de evolução e uso das tecnologias nas empresas e na vida das pessoas fará com que todas as entidades governamentais ou privadas se tornem entidades tecnológicas, fornecendo produtos cada vez mais diversos atingindo às necessidades dos clientes. Cada vez mais as entidades se preocupam com o usuário, a pessoa, o consumidor. Esta peculiaridade do momento impactará e muito como estas entidades tomam decisões, o foco que precisa ser dado, suas missões, seus valores e crenças. Aqui testamos se temos tecnologia disponível para executar esta inovação e se ela pode atender às regulações e a cultura local.

Deste modo é certo dizer que se um ou mais dos três pontos acima falhar, a inovação pretendida não deveria ser aplicada, melhor ainda, deve ser estudado o seu Business Case e discutido entre todos os interessados antes de dar um próximo passo. Isto acontece muito em empresas startups e empresas já estabelecidas que estão alavancando novos produtos para escalar.

Um exemplo que gosto de usar para ilustrar este tema é o da empresa Uber. A empresa chegou no Brasil em 2014 e a cidade escolhida para dar início as suas atividades foi o Rio de Janeiro. No dia 28 de abril de 2015 a Justiça do Estado de São Paulo veio a determinar a suspensão liminar do aplicativo Uber no Brasil. Porém em 04 de maio de 2015 a liminar foi revogada, voltando a ser novamente suspensa pela Câmara de São Paulo no dia 30/06/2015. Em 10 de maio de 2016, o prefeito de São Paulo assinou um decreto regularizando o Uber na Capital. Isto aconteceu em diversos estados e países pelo mundo, com França e Reuno Unido. Vamos analisar sob a ótica dos 3 pontos de inflexão:

  1. Cultura: para se conseguir um transporte como taxi as pessoas ligavam para os pontos próximos de sua residência, torciam para que houvesse disponibilidade de carros para serem atendidos, ou iam para as ruas sinalizar para conseguir um transporte. As pessoas tomavam chuva, ficavam embaixo de sol escaldante esperando por minutos, às vezes por horas para se conseguir um taxi. Com a chegada do Uber, se tornou possível solicitar o carro de dentro do escritório, entender o tempo em que ele levaria para chegar e tomar a decisão se é suficiente ou não. Optar antecipadamente pela forma de pagamento e o tipo de taxi, se mais confortável, ou menos confortável, se mais luxuoso ou menos luxuoso, e assim por diante. Finalmente, abriu-se um novo tipo de trabalho para motoristas que não possuíam alvará de taxi, aumentando o número de veículos disponíveis para o transporte de pessoas na cidade e melhorando o atendimento aos usuários. Ou seja, a cultura foi alterada de forma abrupta e as pessoas compraram a idéia.
  2. Regulação: houve uma enxurrada de reclamações da categoria de motoristas de taxi e de transporte público. Do outro lado a população e os motoristas de aplicativo exigiam a continuidade do serviço. A adequação das leis para que o Uber pudesse ser regulado e coexistir foi praticamente irreversível. Clássico caso em que as leis foram “desafiadas” e por uma aclamação popular das partes (usuários e taxistas), precisaram ser reformuladas.
  3. Tecnologia: todo mundo tem um computador pessoal nas mãos. Os celulares e as plataformas digitais são hoje uma combinação potente para o uso da tecnologia em prol do bem-estar das pessoas. Tecnologia existe para transformar a vida das pessoas, para melhorar e potencializar a vida das pessoas. Ou seja, tínhamos a tecnologia disponível e já estávamos em um nível de maturidade bom para a utilizarmos, a adotarmos em nosso cotidiano foi questão de tempo.

Conclusão, o que sempre aconselho aos empreendedores e startups é o de analisar cuidadosamente os 3 pontos de inflexão antes de tomar decisões que impactem definitivamente a empresa. Não tenho dúvidas de que são fundamentais para a tomada de decisão e sucesso do empreendimento. O mesmo vale para inovação de processos com o uso da tecnologia, analisando as regulações internas da empresa, sua cultura através dos recursos humanos e da área de compliance da empresa.

A tecnologia na vida das pessoas chegou para ficar, não há mais volta, e a cada dia os países serão desafiados a adotar estas tecnologias para proporcionar uma qualidade melhor de vida aos cidadãos. Vou mais além, o uso dos três pontos de inflexão para a tomada de decisão deveria ser considerado também nas famílias. Algumas perguntas a serem feitas: Devo adotar uma tecnologia que impactará a cultura familiar? Devo usar uma tecnologia que desafia meus dogmas e regulamentos criados? Posso aceitar e mudar isto? Eu tenho acesso a esta tecnologia ou devo adquiri-la? A que custo e que impacto terei no orçamento familiar para mantê-la?

Material de referência: https://www.gartner.com/en/newsroom/press-releases/2015-10-07-gartner-reveals-three-digital-forces-and-three-leadership-levels-to-take-digital-to-the-core-of-every-business

Published by flaviocarnaval

- Experience of over 25 years in companies in the IT and Services segment working in the areas of Consultative Sales, Inspiration for Innovation, Building Complex Businesses, Strategic Alliances - Hunting profile working in verticals in industries such as: Telco, Finance, Healthcare and Manufacturing - Strong technical bias for Cloud, ERP, RPA, BI / BA, CRM and Professional Services solutions - Profitable networking with customers, technology providers and startups - DNA aimed at delivering results above the target with several awards in the curriculum - Great experience on creating: organizational model, business model, hiring people, processes and delivering results - Last 7 years, coordinating teams focused on developing high performance teams - Skill in complex negotiation and excellent interpersonal skills. - Extensive international experience mainly in the USA - MBA in Sales Management, Sales Management by (Harvard Business School), several certifications in management, as well as in technical areas - Excellent Oratory, continuous writing practice (Owner of BlogDoCarna.com), didactic

One thought on “Os 3 pontos de Inflexão para que a inovação tecnológica prospere

  1. Caro Carnaval, muito bom o ponto de vista e a reflexão. Entendo que as companhias deveriam estar mais atentas ao aspecto cultural, porque a tecnologia muitas tem que se adaptar à cultura (no sentido mais amplo que você aponta). E outro ponto é que, no caso braseiro, tenho dúvidas quanto ao convencimento e competências dos ocupantes de cargos públicos para usar a tecnologia em prol de um melhor atendimento e apoio na resolução eficaz e barata de grandes desafios sociais que enfrentamos. Por pura falta de preparo intelectual, político e técnico.

    Liked by 1 person

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: